terça-feira, dezembro 28, 2004

Gni! Gni! Gni!

Num restaurante perfeitamente insuspeito - a Estalagem Típica Alcobacense - estão sentados à mesma mesa sete vilões mundialmente temidos numa reunião de nefastos objectivos, disfarçada de festa de aniversário: Inês, a Vermelha, mais conhecida como A Comuna do Casino do Estoril; Pedro, o Gei, temido nas ruas boémias de Londres onde é conhecido como O Jack que não é Estgipador; Samuel, o Baixo ou, como diriam as mulheres mais velhas, Samucas, o Alto; Joana, a Jeta, também chamada de Babe das Terras Altas; João, o Afegão, referido nos arquivos da CIA como A Kallash Humana; Hélio, o Pasteleigo, chamado de O Gei dos Bolos; Ricardo, o Bubas-Mor, também conhecido como Iron Man.

Hélio e Ricardo entram no restaurante armados, o primeiro com uma caixa de explosivos disfarçados de inocentes queques de noz natalícios e o segundo com uma arma laser que se assemelha na forma a uma guitarra. Eles e outros três sentam-se e aguardam a vinda de Joana e João, o que leva à primeira discussão:

Samuel - Então mas onde é que estão os outros?
Hélio - Atrasados, p'ra variar! É sempre a mesma porra!
Inês - Eu acho que esta coisa dos atrasos é tudo por opressão do patronato português...
Hélio - Olha a mim oprime-me é pela espera que tive que fazer com o frio que está!
Pedro - Olhe, menina do restaurante, traga-nos um jarro de vinho habitual, se fizer esse favor. Bebemos todos, certo?
Hélio - Eu não!
Pedro - Ah, já me esquecia! Tu agora só fazes coisas programadas...olha, podes-me passar um cinzeiro para eu apagar o cigarro? Não me está a apetecer usar o rabo de alguém.

Joana e João chegam com as suas armas na mão, inteligentemente disfarçadas de prendas de aniversário.

Hélio - Ah! Finalmente!
Joana - Desculpem o atraso, tivemos que ir ao "Modelo" buscar estas "prendas" semi-automáticas para "oferecer". Já pediram?
Pedro - Ainda não, estavamos à vossa espera.

Após o complicado processo de selecção dos pratos num menu que é o mesmo desde há três anos, os planos maquievélicos começaram a ser engendrados.

Pedro - Vamos então dar início à reunião! Vamos decidir qual a melhor maneira de aterrorizar o mundo!
João - Este gajo tem o espírito todo. Se não fosse ele iamos ficar aqui a olhar uns para os outros.
Pedro - Bem, bem, vamos mas é a dar início à nossa tetra reunião maléfica!
Inês - Tetra? Então isto é só a terceira?
Joana - Tetra é de quatro, Inês...
Ricardo - Quatro? O Pedro era bi!
Pedro - Eu ando nisto há tanto tempo quanto vocês!
Samuel - Vê lá bem que eu é que dou conta dos mais velhos!
Hélio - E 'tá a despachar que o mais velho aqui sou eu!
Todos - Gni! Gni! Gni! (riso maquievélico, para quem não sabe)
Pedro - Pois bem, já todos viram o novo anúncio da Channel? O Channel 5 com a Nicole Kidman?
Todos - Sim, sim! Já!
Pedro - Vamos agarrar na ideia deles e levar até às últimas consequências a colagem do anúncio ao Moulin Rouge: vamos fazer com que a Nicole no final morra de tuberculose por ter usado o perfume!
Hélio - Ah! Já estou a ver o slogan final: Channel 5 - it kills, but it doesn't stink!
Todos - Gni! Gni! Gni!
Ricardo - Pois eu tenho uma ideia melhor! Eu vou criar um andróide que contamina com medo quem lhe apertar a mão.
Inês - Boa! Boa!
Ricardo - Ainda não acabei! Terá a incrível capacidade de engolir lençóis de cama e sapatilhas. As crianças vão ficar cheias de medo que ele se esconda no quarto e as engula durante a noite!
Todos - Gni! Gni! Gni!
Samuel - Pois eu vou simplesmente levar-te a casa: condução é a coisa mais aterrorizante de que eu me consigo lembrar.
Todos - Acelera! Acelera!

Sem que os vilões reparassem, uma aparentemente inocente família entra no restaurante e senta-se na mesa ao lado da da reunião maléfica. Era, na realidade, um corpo de espiões disfarçados, enviados para espiar e atrapalhar o encontro de terroristas.

Hélio - Pois eu tenho um plano ainda melhor! Nesta caixa estão queques de noz...
Pedro - Vais matar as pessoas com bolos cheios de bolor?
Hélio - Nada disso! Isto na verdade são explosivos!
Pedro - Wow! It blows!
Hélio - Tragam um fósforo para experimentarmos.

A empregada traz uma faca e uma caixa de fósforos.

Pedro - Só um fósforo, obrigado! A faca não é preciso que eu deixei-me de partes do corpo humano!
Hélio - Agora espetamo-lo no bolo e temos que cantar enquanto ele arde, senão não explode.
Todos - Parabéns a você, nesta data querida! Muitas terribilidades, muitos danos de vida! Eeeeh! (apagam o fósforo)
Joana - Então? Não resultou!
Hélio - Se calhar temos que tentar outra parte da canção...Acende outra vez o fósforo, Pedro.
Todos - Tenha tudo de mau, que a vida não tem! Tenha muita saúde, que os outros não têm! Eeeeh! (voltam a apagar o fósforo)
João - Nada!
Hélio - Não percebo...
Pedro - Vou acender outra vez o fósforo e agora cantas só tu, Kallash.
João - Obrigado, meus amigos, que rebentem os outros...
Todos - Eeeeh! (apagam outra vez o fósforo)
João - Epá, assim não tive tempo de acabar de cantar!
Família de espiões - Vocês façam pouco barulho que há aqui pessoas a tentar comer!

Após mais duas tentativas por entre a sabotagem disfarçada da mesa ao lado, o plano do Hélio não resultou e passou-se para a proposta seguinte.

Joana - Pois eu e o João temos duas armas imbatíveis!
João - Reparem: isto é aparentemente uma inocente mesa de bolso de snooker...
Pedro - Sim, toda a gente agora anda com uma mesa no bolso...
João - Mas vejam o que sucede se eu tentar jogar isto.

João dá uma tacada para atingir uma bola azul. A bola branca segue em direcção ao alvo pretendido, mas não só acaba por passar ao lado como dá a volta e regressa ao centro da mesa.

Ricardo - Eina, uma tacada mágica!
Hélio - Este homem é um ás neste jogo!
João - Isto é tudo parte de um plano astuto para transformar uma modalidade desportiva num motivo para ataques de nervos à escala mundial!
Todos - Gni! Gni! Gni!
Pedro - E os buracos nem existem! Não dá para meter mais de quatro bolas!
Todos - Gni! Gni! Gni!
Família de espiões - Façam pouco barulho senão nós também começamos a fazer uma algazarra de meia-noite!
Pedro - Continuem! Continuem!
Joana - Pois eu também tenho um plano astuto. Isto é um jogo de Pinball de bolso!
Todos - Wow!
Inês - Wow!
Pedro - Sim, porque toda a gente tem mesas de pinball no bolso...
Inês - Wow! Deixa cá ver isso!
Joana - Inês, cuidado! Isso pode...
Inês - Isto é giríssimo!
Ricardo - Então e tu, Inês, não tens nenhum plano?
Inês - Isto é girissímo! Eu é o mesmo de sempre: revolta do proletariado e revolução! Girissímo, isto!

A família de espiões reage à referência ao comunismo e começa a bater na mesa para dar início a uma intervenção relâmpago.

Samuel - Acho melhor fugirmos daqui, fomos descobertos!
Pedro - Vamos deixar os queques para trás para os despistarmos. Oh senhoras do restaurante...!

Dirigem-se à caixa do restaurante. Os espiões vão atrás.

Samuel - Eles estão a seguir-nos!
Ricardo - Oh não! Deixei a minha arm...guitarra na sala!
Inês - Girissímo! Depressa, vai buscá-la que nós disfarçamos isto com uma conversa que é girissíma!
Hélio - Então, Kallash, não percebi. Tu pagas as bebidas e as entradas ou só as entradas e as bebidas?
Joana - Não era as bebidas e as entradas mais os pratos?
João - Não, são só 4 euros e 60 a cada!
Todos - Ahhh! Pois é!
Ricardo - Pronto, já a tenho!
Pedro - Depressa, vamos embora!
Inês - Sim, girissímo!
Joana - Inês, tu não páras de jogar isso? Olha que tem efeitos sec...
Inês - Girissímo!

Saem do restaurante, mas os espiões continuam a segui-los. Pedro decide usar uma simulação de morte do grupo.

Pedro - Pronto, acabou o jantar. Quanto é que apostam que a noite morre aqui?
Ricardo - Não resultou, eles continuam a vir atrás de nós!
Inês - Girissímo!
João - Vamos fugir no meu carro. Eu tenho a carta há pouco tempo e até ao Lameirão há-de acontecer alguma coisa.
Samuel - Eu vou conduzir até lá acima feito maluco para ver se atraio a atenção deles enquanto vocês fogem.

Vão todos para os carros. Samuel acelera selvaticamente pelas ruas apertadas e algumas em obras de Alcobaça. Os restantes correm na direcção oposta por entre os gritos de "girissímo!" da Inês. Entram no automóvel.

João - Espera aí, estão quatro atrás!
Hélio - Se a polícia nos apanha estamos tramados.
Inês - Girisssímo!
Pedro - Inês, cala-te e baixa-te!
Joana - Não te preocupes, o Pinball de bolso tem efeitos secundários.
Inês - Girissímo!

Inês transforma-se numa gata.

Ricardo - Ah, pronto! Assim está melhor! Animais atrás são permitidos, mesmo com três pessoas.

O carro arranca a alta velocidade pelas ruas de Alcobaça por entre as gargalhadas maquievélicas do grupo.

PARABÉNS KALLASH! :)

2 comentários:

Anónimo disse...

Gni Gni Gni!!!!!
Será q a InÊs já construiu um Pinball de bolso para ela com os pauzinhos e as cordas?! :D
Giríssimo!
Joana, a Jeta, a Babe das Terras Altas!

Heliocoptero disse...

LOL! Acho que vamos ter que esperar uns meses até ela passar a época de exames e o consequente período de convalescença. Ah, e Jeta: ainda não sei como vai ser o Carnaval. Às tantas ou não saio ou o Capuchinho Vermelho vai andar outra vez pelas ruas de Alcobaça :p