segunda-feira, agosto 08, 2005

Óbidos VII - O quarto

A Feira Medieval de Óbidos estava dividida em dois espaços: a cerca da vila e a cerca do castelo. Na primeira, a pessoa passeia pelas ruas e, para além das belezas próprias da localidade, descobre mercados medievais montados em praças e bêcos e uns quantos figurantes a passear de um lado para o outro. Para aceder à segunda, uma pessoa tinha que esperar até às seis da tarde e pagar dois euros de modo a ver mais um mercado, cortejos, torneios e encenações literalmente explosivas como o assalto ao castelo.

Ora, enquanto as dezoito horas não chegavam, nós os três andámos a passear por Óbidos para queimar tempo. Demos com uma feira do livro, vimos umas quantas lojas e, a dada altura, demos de caras com a seguinte banca com placas em azulejo:



Sim, é verdade: para nossa surpresa cada uma delas custava 4 euros! Nós já há um tempo que nos vinhamos a aperceber que as coisas em Óbidos são muito inflacionadas. Além disso, achei de muito bom gosto usarem o amarelo como cor de fundo, assim a fazer lembrar as casas típicas portuguesas. Mas, é claro, como bom português que sou não posso deixar de me rir com o resto, não é? Aquela plaquinha a dizer "Chambre" está uma moca: faz lembrar as peixeiras da Nazaré, a quem ainda ninguém teve coragem para dizer que um quarto não se aluga, mas arrenda-se!

Acho que a JT e o Coutinho ainda se riram com não sei mais o quê. Qualquer coisa a ver com cuecas ou que raio: vá-se lá perceber :p

P.S. - Já temos mais sequelas que o Rocky! :D

Próximo Capítulo: Óbidos VIII - Bruxaria na Mouraria

2 comentários:

Monastero disse...

Que horror! Mas isso vende-se?! Mas alguém estraga casas com azulejos desses? UNF!

Anónimo disse...

Olé Olé!!!
Esse Rocky... é um menino!

Esqueceste-te de referir que aquela feira do livro era, na realidade, uma PSEUDO feira... os preços estavam practicamente iguais aos habituais... não percebi onde entrava o conceito de feira.


J.T.