sexta-feira, agosto 12, 2005

Óbidos VIII - Bruxaria na Mouraria

First things first: retomando a entrada anterior, eis a cara de contentamento do Coutinho enquanto eu e ele esperavamos que a JT viesse da casa de banho na Feira do Livro:



Como disse a Jeta, aquilo não era grande feira, uma vez que os preços eram quase iguais aos normais. Serviu para basicamente duas coisas: 1) vermos parte de um filme sobre Lutero e 2) a JT ter onde meter a zezinha a chorar :] (ai estas metáforas, lol). Adiante!


Óbidos VIII - Bruxaria na Mouraria
Junto à entrada do castelo, um pouco depois da loja das famigeradas placas em azulejo, havia uma que indicava Bruxaria e Mouraria. Como tinhamos tempo para dar e vender e muita curiosidade, metemo-nos pelo meio das bancas e tendas que se seguiam à indicação escrita. Demos de caras com advinhos, bruxas e ciganas e uma delas tinha junto de si um pote de barro com a inscrição Mezinhas. A JT, como sempre a meter-se com as pessoas, perguntou à mulherzinha o que era aquilo e ela lá lhe explicou que era para afastar a má sorte (cliché, mas dentro do espírito da coisa). Dentro do pote havia esferas de verga com pequenos pedaços de papel onde estavam inscritas coisas funestas das quais a pessoa se devia livrar. A Jeta deu 1 euro para tentar e, depois de ler o papelinho que lhe calhou, a cigana ofereceu-lhe um cestinho e instruções para dar sorte à JT.



Depois foi a minha vez e, após de ter tirado a minha esfera, foi-me dado um pequeno sol em vidro (muito giro, por acaso). O Coutinho não entrou na brincadeira e limitou-se a ver e rir.




A seguir a estas coisas que já foram mais católicas (à semelhança da TVI) vinha um mercado mouro. Havia umas quantas tendas com tecidos, roupa de todas as cores e mais algumas, joalharia, objectos de decoração com o seu quê de orientais e até uma grande tenda à berbere, com espaço e muitas almofadas para as pessoas se sentarem no chão e que servia comida e bebida típicas de países muçulmanos.



De dizer que a JT ainda comprou um porta-moedas todo catita :p Depois continuámos pela mesma rua abaixo, em direcção às escadas para subir para as muralhas. Pelo caminhou houve ainda tempo para tirar mais uma foto junto a uma das inúmeras casas lindas de Óbidos.




Próximo Capítulo: Óbidos IX - Ameias com toda a força!

1 comentário:

Monastero disse...

LOL, muito lindo. O que importa é que estão todos livres do mal.