segunda-feira, outubro 23, 2006

Grandes Portugueses... homossexuais?

Longe de estar a propôr a nomeação de novos nomes para a já extensa lista de sugestões da RTP com base na orientação sexual, estou antes a querer chamar a atenção para um pequeno detalhe: quantas dessas ilustres personagens que temos como importantes na história e cultura nacionais não foram gays? Não que a homossexualidade acrescente ou retire mérito a alguém, mas seria curioso ver qual a reacção da direita ultranacionalista e homofóbica à possibilidade (ou confirmação) de alguns dos heróis nacionais por eles tão adorados terem sido uma das coisas que eles mais odeiam. Ou descobrir o que diria o português médio ao perceber que algumas das ilustres personagens históricas que aprendera a admirar desde os bancos da escola foram, de facto, homossexuais. Ousar-se-ia escarnecer, discriminar, expulsar de casa, recusar servir um café, despedir, perseguir, agredir ou mesmo sugerir a morte de alguém tão ilustre como... o Infante D. Henrique? Eis o que diz este artigo da Wikipedia:

Henry never married and sired no children, although nothing would have prevented him from doing so. He openly disdained the company of women, but we know that he had strong affective bonds with several men and kept a court filled with very young men and boys who were said to have been brought up in his "câmara" that might be translated as his bedchamber. It was from among these that he selected the captains of the voyages that he later sent down the coast of Africa. In fact it is highly probable that he was homosexual, although he claimed merely to be "chaste", most likely to deflect suspicion about his sexuality.

Se é verdade ou não os historiadores que o decidam, mas tendo em conta que a homossexualidade é perfeitamente normal entre mamíferos e que desde sempre fez parte da vida humana, é apenas inevitável que entre os grandes portugueses que a RTP sugere haja quem tenha gostado do mesmo sexo. Se já é hilariante ver mentes homofóbicas usarem heróis da Grécia Antiga como exemplo do seu macho modelo de virilidade, quão cómico não seria ver a (extrema) direita elogiar os méritos e obra de um herói nacional que, afinal, era homossexual.

É de esperar o apedrejamento de uma qualquer estátua do Infante D. Henrique na próxima manifestação do PNR ou a publicação de um artigo difamatório do Navegador da autoria de João César das Neves.

2 comentários:

al cardoso disse...

Ou ate, virem comentarios (normalmente anonimos) insurgirem-se contra este blog, so pelo facto poder vir a admiti-lo.
Tenha cuidado nao o apredejem a si tambem!!!

Um abraco fornense.

L disse...

Ai, ai, ai! João, não José! Não que isso já tenha passado a importar (quer o nome, quer a abécula).