sábado, julho 23, 2005

Óbidos I - O Horário

Todos os anos, a ilustre vila de Óbidos realiza a sua Feira Medieval e, durante uns dias, a pacata localidade recua em parte à Idade Média, enchendo-se de torneios, mercados, artesãos, música, damas e cavaleiros, cortejos, assaltos ao castelo, estandartes de todas as cores e mais algumas e sabe-se lá que mais que dos tempos medievais possa ser recriado nos nossos dias. Chega até a ter a sua moeda própria - o torreão - usada apenas em algum do comércio que existe dentro do castelo.

Ora, como o pessoal de Alcobaça é danado para a brincadeira, três de nós - eu próprio, a JT e o Coutinho - decidimos empreender uma valente expedição ao mundo medieval de Óbidos, empresa essa que teve um sem fim de peripécias, filmes, momentos hilariantes e afins. A abundância foi tal que eu decidi reparti-los por várias entradas de modo a poder dar a muitos dos detalhes a devida atenção. Abre-se, assim, uma sequência de histórias que há-de ter mais sequelas que o Rocky, lol :p


Óbidos I - O Horário
Eu sei que os Comboios de Portugal já não são o que eram, eu sei que a Linha do Oeste está mais morta que viva e sim, bem sei que num país que nem consegue manter linhas ferroviárias convencionais em pleno funcionamento por falta de investimento ainda há quem fale em TGV's. Mas, ingenuidade a nossa, fomos para a estação de caminhos-de-ferro de Valado dos Frades (sim, há uma terriola com este nome) com o à vontade de quem vai viajar de carro próprio. Qual não foi a nossa surpresa quando descobrimos que faltava coisa de duas horas para o próximo comboio para Óbidos!



Não, de nada valeu a JT ir a correr até à porta da estação a chamar pelo pai. Não, os autocarros para Óbidos não são melhores que o comboio e não, não tinhamos nenhum meio de transporte alternativo que nos permitisse chegar mais cedo ao nosso destino. Tivemos mesmo que esperar as duas horas, às quais se seguiu outra hora de viagem. Contas feitas, só às 14.20 é que passámos as muralhas de Óbidos.



Mas a viagem propriamente dita, as peripécias imediatamente antes e depois, isso é material para as sequelas, porque as duas horas de seca no Valado não se perderam a olhar para a "agitação" dos carris vazios e das moscas ao sol: transformaram-se sim na incrível odisseia relatada na entrada seguinte :)

Próximo Capítulo: Óbidos II - A Aventura dos Minimercados

2 comentários:

Anónimo disse...

Quero dizer desde já, que foi uma experiência intensa mas gratificante! Para melhor encarnar o meu personagem fiz mesmo viagens no tempo e vivi uns meses no século XII. :P

Anyway, para o ano há mais. E para o seguinte também. E, apesar das trilogias estarem na moda, nós vamos ser originais e fazer uma "bué-totes-muitas.sequelas.mesmo-ologia"!

PORQUE EU QUERO LÁ VOLTAR SEMPRE!

Com amor e carinho

Juju Têtê

Monastero disse...

Ena novidades, em vários episódios, que você não vai perder, porque nós também não... O_O